Mostrando postagens com marcador Vídeo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Vídeo. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Saulo - Raiz de Todo Bem(Oficial)





RAIZ DE TODO BEM -- Saulo Fernandes


Salvador Bahia
Território africano
Baiano sou eu
É você, somos nós
Uma voz de tambor
Oxente
Cê num tá vendo
Que a gente é nordeste
Cabra da peste
Sai daí batucador
Quem foi seu mestre?

Capoeira, se plante
Lá vem rasteira
Pé da ladeira
Preciso da fé
Do senhor do Bonfim
Para mim pra mim

Um chinelinho de couro
Uma bata, uma benção
Mais cinqüenta centavos
De som
Aumenta o som...

África ioioio
Salvador
Minha cor a raiz
De todo bem
De tanta fé
Do canto candomblé

quarta-feira, 23 de março de 2016

RETRATO DA VIDA - Dominguinhos



RETRATO DA VIDA

Dominguinhos



Esse matagal sem fim
Essa estrada, esse rio seco
Essa dor que mora em mim
Não descansa e nem dorme cedo
O retrato da minha vida é amar em segredo
Não quer saber de mim
E eu vivendo da sua vida
Deus no céu e você aqui
A esperança é que me abriga
Esses campos não tardam em florir
Já se espera uma boa colheita
E tudo parece seguir
Fazendo a vida tão direita
Mas e você o que faz, que não repara no chão
Por onde tem que passar
E pisa em meu coração
O teu beijo em meu destino
Era tudo que eu queria
Ser seu homem seu menino
O ser amado de todo dia

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

AS TRÊS LÁGRIMAS - ANTONIO CAMPOS NEGREIRO



AS TRÊS LÁGRIMAS - ANTONIO CAMPOS NEGREIRO



Se eu pudesse esquecê
aquela noite de são joão
era bem baum, mas quá
era a moça mais bonita
com seu vestido de chita
todo enfeitado de fita
que pisô na povoação

no vortiado sapatiado
foi que nóis se cunhecemo
nossos óios se encontraram
nossos óios se gostaram
e nóis também se gostemo
no gemê da viola
nessa dor que nos consola
eu fiz a declaração
e como quem pede esmola
os meus olho mendigava
um olha dos olho teu
e quando a esmola chegou
che meu deus
eu não sei o que senti
não sei memo pra que menti
eu não sei como foi aquilo
senti um nó nos gorgumilho
uma vontade de chorar
mais quá tudo cansa
os meus olho se orvalhô
e uma lágrima rolô
pra mode eu te esperança
e um ano mais se passô
quando foi no outro são joão
era a noiva mais bobita
com seu vestido de chita
tudo enfeitado de fita
nessa noite do sertão
quando saimo da igreja
tudo mundo tinha inveja da nossa felicidade
eu tava tão sastifeito,mais tão sastifeito
parecia que meu peito queria
se arrebentar
eu inté num sei expricá
quem diz,os meus olho se oevalho
e outra lágrima rolô
pro mode eu sê tão feliz
mais quando foi no outro são joão
quatro vela acesa lá na mesa
alumiava seu cachão
inda tava mais bonita
com seu vestido de chita
tudo enfeitado de fita
e um ramo de frô na mão
quando foi prela partí
eu não queria que ela fosse
anssim sem se adespedí de mim
garrei na cabeça dela
e como um loco beijei,
beijei sua face amarela
na hora que ela partiu
eu já nem sabia chorá
o resto das minha lágrima
eu dei pra ela levá
agora as veis de tardinha
eu garro de cisma,de cisma
e de repente sem querer
num sei purque
ma da vontade de chorá
mais qua quem a de
o meu pranto se secô
na dor dessa sodade


OZEAS CB RAMOS

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

LENDO - CAPITÃES DA AREIA - Jorge Amado - 1937



LENDO - CAPITÃES DA AREIA - Jorge Amado - 1937


Desejava esse livro. Há alguns anos ele esteve na estante mas nada da leitura acontecer. Outro dia, com apenas R$ 30,00 (trinta reais) no bolso, ao visitar uma grande livraria eu não resisti... Lá foram R$ 25,00, e os R$ 5,00 resolveriam a compra de uma água mineral e uma passagem do buzão...
Agora, lendo e carregando uma impressão que, guardadas alguns apartes e verossimilhanças, o livro mais parece um relato atual.

"Ontem houve mais um assalto".

O jogo oficial das desculpas esfarrapadas das "autoridades", os crimes, a luta pela vida em "liberdade" e as dores que cada um moleque do grupo carrega na alma.

A linguagem é simples, não simplória. O que faz desse baiano escritor popular sem o rebuscado das formas. Ou ainda, que encontrou a sua forma de escrever e narrar os dramas do povo da terra.

Os modernos capitães agora vivem no asfalto, envolvidos numa cracolândia de qualquer cidade desse país dominado pelo vício e comércio das drogas, pela violência e pelo descaso das "autoridades". Não mudam as dores...

Aliás, as dores da vida não mudam nunca!


Duas resenhas:









OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

DESEJO UM VERSO NU

video


DESEJO UM VERSO NU


Um poema com métrica
É como uma canção
Em que a música precede a letra
Ritmada por um compasso...
Tem esquadro.

Como uma alma
Que depois de parida
Recebe um corpo.
Tem escopo.

Ou ainda:
Roupa feita de encomenda
por um alfaiate.
Ah! Não me enfade...

Quero versos livres
Sem princípios, meios
e afins.

Que diga o que você conseguir
Ouvir... Sentir... Ou viver...

Desejo um verso nu!
Sem antíteses, sem sínteses.

Que não se encerre em si!
E que de mim não tenha dó.

OZEAS CB RAMOS

domingo, 3 de janeiro de 2016

DOM DE ILUDIR - Caetano, Gil, Ivete





DOM DE ILUDIR

Caetano Veloso


Não me venha falar na malícia
De toda mulher
Cada um sabe a dor e a delícia
De ser o que é

Não me olhe
Como se a polícia andasse atrás de mim
Cale a boca e não cale na boca
Notícia ruim

Você sabe explicar
Você sabe entender tudo bem
Você está, você é
Você faz, você quer, você tem

Você diz a verdade
A verdade é o seu dom de iludir
Como pode querer
Que a mulher vá viver sem mentir.


#rascunho1966

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

QUEM ME COMPREENDE por Rolando Boldrin




QUEM ME COMPREENDE

Ary Barroso

Canta: Rolando Boldrin (9:50)


Vem ouvir minhas queixas, coração!
Quero te acordar com esta canção,
Ai, meu Deus do Céu!
Não posso mais
Conter meus ais!
E sem ter no mundo mais ninguém
Não suportarei o seu desdém,
És a minha vida
A própria luz
Dos meus olhos, oh! Querida!
Felicidade...
Tenho saudade
Dos tempos que não voltam mais
Não voltam mais!
Tu me deixaste só
E nem tiveste dó.
Mas mesmo assim
Eu sei que tu gostas de mim.
Felicidade...
Tenho saudade
Dos tempos que não voltam mais
Não voltam mais!
Quem me compreende bem
Meu coração
Como ninguém
É este violão

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

A ESTRELA - ALMEIDA GARRET




Poema de Almeida Garret.

Música de Jose Vianna da Motta


A estrela


Há uma estrela no céu,
Que ninguém vê senão eu;
Inda bem! Inda bem!
Que não a vê mais ninguém

Como as outras não reluz,
Mas dá tão serena luz
Que inda bem! Inda bem!
Que não a vê mais ninguém.

No cantinho azul do céu
Onde ela está não digo eu,
A ninguém, a ninguém,
Sei-o eu só inda bem.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

CAROLINA DE JESUS - Vida e obra literária.




"PRINCESA DA LITERATURA" - CAROLINA DE JESUS


Extraído da descrição do filme.

============================================
Publicado em 22 de nov de 2012

Lista de reprodução "Estante de Vídeo & Áudio-Livros" do canal YouTube CarlosAlbertoDidier.

Documentário sobre a escritora Carolina de Jesus, exibido pela TV Câmara em comemoração ao dia da Consciência Negra, festejado no Brasil a 20 de novembro.

Texto de apresentação da TV Câmara:

"A história singular de uma catadora de papel que viveu na extinta favela do canindé em São Paulo é o tema de uma exposição na Câmara. Organizada para comemorar a Semana da Consciência Negra, a mostra "Carolina Vive" expõe a obra de Carolina de Jesus: seus diários e o livro que se tornou best seller, revelando ao mundo a poesia e o talento da escritora.

"São Paulo, década de 50. Na cidade grande e poderosa, a poesia nasceu na favela, o quarto de despejo da cidade, porque lá jogam homens e lixo, que lá se confundem, são coisas que a cidade deixa de lado". A descrição crua, mas poética está na obra de Carolina Maria de Jesus.

Nesta exposição, fotos e documentos de Carolina revelam a escritora acima de tudo. O best-seller Quarto de Despejo vendeu mais de um milhão de exemplares e foi publicado em 14 idiomas, em mais de 40 países. Ela escreveu outros 4 livros, entre eles, Diário de Bitita.

Mulher, negra que morava na favela: Carolina de Jesus representa um símbolo da luta pela emancipação feminina e contra os preconceitos. Apesar da fama e do talento, morreu pobre.

A exposição está aberta ao público até sexta-feira, das 9h às 18h, no Hall da Taquigrafia, que fica no Anexo 2 da Câmara.

Créditos:

1- Reportagem: Vera Morgado
2- Ronaldo Bizanotto - Organizador da exposição
3- Produção: Patrícia Lemos".


CAROLINA MARIA DE JESUS (Sacramento, 14 de março de 1914 — São Paulo, 13 de fevereiro de 1977) foi uma escritora brasileira.

Ex-catadora de papel, Carolina foi descoberta pelo jornalista Audálio Dantas ao escrever uma matéria sobre a expansão da favela do Canindé. Com pouca escolaridade, favelada, mulher, negra e pobre, Carolina fez das obras um meio de denúncia sócio-política. A obra mais conhecida, que teve tiragem inicial de dez mil exemplares (esgotados na primeira semana), e traduzida em 13 idiomas, é Quarto de Despejo, publicada em 1960. Também escreveu Casa de Alvenaria (1961), Pedaços de Fome (1963), Provérbios (1963) e Diário de Bitita (1982, póstumo).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Carolina...

Informe-se ainda um pouco mais sobre Carolina Maria de Jesus:
http://www.labjor.unicamp.br/patrimon...

http://www.amigosdolivro.com.br/lerma...

http://www.mundonegro.com.br/portal/2...

http://www.baixelivros.com/carolina-m...

http://criticaconsciente.wordpress.co...


Não deixe também de ver os seguintes vídeos sobre Carolina de Jesus

O Diário de Bitita: http://www.youtube.com/watch?v=yg0XT6...

O Estranho Diário da Escritora Vira-Lata: http://www.youtube.com/watch?v=v6v4jJ...

http://www.youtube.com/watch?v=LuuwFI...

http://www.youtube.com/watch?v=-JsXCm...


Categoria
Educação

Licença
Licença padrão do YouTube




MANUSCRITO

Livro - Onde estás felicidade?



domingo, 27 de dezembro de 2015

FILME - A VIDA DE BRIAN - Uma sátira...


A VIDA DE BRIAN - Uma sátira...

(vou logo avisando)



"O que que você tem a perder?
Olha, você veio do nada... vai voltar pro nada
O que que você vai perder?
Nada!
Nada virá do nada, já diziam".
https://letras.mus.br/monty-python/1213703/


VÍDEO:


 FILME NO YOUTUBE



"A Vida de Brian, no original inglês Life of Brian, é um filme dos Monty Python realizado em 1979 por Terry Jones, membro do grupo. O seu argumento baseia-se numa sátira à época de Jesus Cristo e é considerado blasfemo, por uns, e genial, por outros.
O filme é controverso devido a sua combinação de comédia e de temas religiosos".
https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Vida_de_Brian



OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

A FILOSOFIA NOS CÂNTICOS - Cecília Meireles


Cântico VI - Cecília Meireles


Tu tens um medo: Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.



A FILOSOFIA NOS CÂNTICOS - Cecília Meireles




Uma abordagem diferente sobre os textos publicados tardiamente - 26 poemas.




OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br
www.facebook.com/rascunho1966

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Chegada do Lampião no Inferno - Por Mário Arruda




A Chegada de Lampião no Inferno

Autor: José Pacheco

Um cabra de Lampião
De nome Pilão Deitado
Que morreu numa trincheira
Num certo tempo passado
Agora pelo sertão
Anda correndo visão
Fazendo mal-assombrado.

E foi quem trouxe a notícia
Que viu Lampião chegar
Os inferno neste dia
Faltou pouco pra virar
Incendiou-se o mercado
Morreu tanto cão queimado
Que faz gosto inté contar.

Morreram cem negro velho
Que não trabalhavam mais
Três netos de Parafuso
E um cão chamado Cá-traz
Morreu também Bigodeira
e um cão chamado Buteira
cunhado de Satanás

Vamos tratar da chegada
Quando Lampião bateu
Um moleque ainda moço
No portão apareceu:
— Quem é você, cavalheiro?
— Moleque, eu sou cangaceiro
Lampião lhe respondeu.

— Moleque, não! Sou vigia
E não sou seu pariceiro
Hoje aqui o senhor não entra
Sem dixé quem é primeiro
— Moleque, abra o portão
Saiba que sou Lampião
Assombro do mundo inteiro.

O vigia foi e disse:
— Fique fora que eu entro
E eu vou falar com o chefe
No gabinete do centro
Por certo ele não lhe quer
Mas conforme eu lhe disser
Eu levo o senhor pra dentro.

Lampião disse vá logo
Quem conversa perde hora
Vá depressa e volte logo
E eu quero pouca demora
Se não me derem ingresso
Eu viro tudo aos avesso
Taco fogo e vou embora.

O vigia foi e disse
A satanás no salão:
— Saiba, vossa senhoria
Aí chegou Lampião
Dizendo que quer entrar
E eu vim lhe perguntar
Se lhe dou o ingresso ou não.

— Não senhor, satanás disse
Diga a ele que vá simbora
Só me chega gente ruim
Eu ando muito caipora
Eu Já to inté com vontade
De botar mais da metade
Dos que têm aqui pra fora.

Disse o vigia: — Patrão
A coisa vai piorar
E eu sei que ele se dana
Quando não puder entrar
Satanás disse isso é nada
Reúna aí a negrada
E leve o que precisar.

Quando Lampião deu fé
da tropa negra encostada
disse só na Abissínia
Ô tropa preta danada
E uma voz que ecoou
Satanás foi quem mandou
taca-lhe fogo negrada

Lampião pôde pegar
uma caveira de boi
sapecou na testa dum
e o cabra só fez dizer oi

Houve grande prejuízo
No inferno nesse dia
Queimou-se vinte mil conto
que Satanás possuía
queimou-se o livro de ponto
perderam seiscentos contos
somente em mercadoria

Reclamava Lucifer
crise maior não precisa
os anos ruim de safra
e agora mais esta pisa
se não houver bom inverno
aqui dentro dos inferno
ninguém compra uma camisa

Quem duvidar desta historia
pensar que não foi assim
duvidando de meu verso
não acreditando em mim
vá comprar papel moderno
e escreva para os inferno
mande saber de Caim.

domingo, 13 de dezembro de 2015

AUDIOLIVRO: "A Cartomante", de Machado de Assis



AUDIOLIVRO

Vai aí uma nova possibilidade. Ouvir um livro.
No vídeo acima segue leitura do conto de Machado de Assis - A cartomante.

Abaixo um link para o conto em PDF.

A CARTOMANTE.

Testem e deixem uma opinião se é válido ouvir um livro.

OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

sábado, 5 de dezembro de 2015

COISAS DO PASSADO - VÍDEO





COISAS DO PASSADO - VÍDEO


Normalmente não posto vídeos e imagens que viralizam no Face. NÃO SUPORTO. Detesto que me mandem essas mesmas "porcarias" via Zap. Por mais que peça para não enviarem... apago mais do que vejo! Até que excluo e bloqueio o (a) desgraçado (a) que insistir.

Mas esse aqui foi buscar as reminiscências de uma infância que está ficando cada vez mais distante e buscada com mais dificuldade pela memória. É difícil lembrar de tanta coisa!

Talvez seja necessário parar o vídeo para poder ver as imagens com mais detalhe.

Não sei se é uma questão de olhar, comparar, e achar que isso aqui, que chamamos de vida, já foi melhor. Que no passado era melhor... Mas foi o que tivemos para viver. Talvez isso seja a felicidade... E desse modo nossos filhos, netos, igualmente sejam felizes com aquilo que seu tempo tenha para lhes oferecer.

Nostalgia pura! E boas lembranças...


OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br
www.facebook.com/rascunho1966

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

FILME - NA NATUREZA SELVAGEM




Peguei carona em uma dica aqui no Face e estou vendo o filme NA NATUREZA SELVAGEM (into the wild). Nem bem começou la película e já fiquei "a pensar"...

Como pode alguém deixar a segurança, o conforto, e sair por aí???...

Ao menos um dia todos fazem isso. De algum modo todos saem por aí. Embora não torne a loucura distinguível, como dizia um amigo, mudar a direção e ou sentido pode ser apenas uma questão de vetor.

Será contramão essa loucura? São tantas outras loucuras e como saber qual a loucura aponta para o tal caminho certo? O sucesso? O dinheiro? O bem estar??? E porque todos esses itens, mesmo quando reunidos, não trazem como garantia a felicidade e a paz? (Não para todos...).

Penso que entendo "aqueles que vão"... ao menos, tendo um pouco dessa loucura, posso compreendê-los ainda que em parte.

Não li o livro e ainda não terminei de ver o filme, não sabendo como ele termina, porém, como quem ama a estrada e sabendo que a hora se aproxima, preciso meu seguir...

OZEAS CB RAMOS

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O Trio Do Brasil Ex Trio Parada Dura 40 Anos

Modão, Caipira, Sertanejo, Catira, Forró, Pé de Serra,
Eis o que eu gosto de ouvir...
É por aí...



segunda-feira, 3 de agosto de 2015

FILME - UMA LONGA JORNADA


Pouco mais de duas horas de um belo filme.
Uma longa Jornada...
Gênero - Drama

Recomendo o filme e uma amiga logo recomendou um livro do Nicholas Sparks: O MELHOR DE MIM. Confiram!!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...