terça-feira, 11 de agosto de 2015

SIGO ASSIM, DEVAGAR, E SEMPRE, E SEMPRE...


A alma feliz o rosto entrega. Solta um sorriso bobo e espontâneo com um olhar brilhoso inconfundível e inigualável!


Ando feliz porque até o meu deserto tem oásis, minha árida terra seca pradarias e estepes. Feliz apesar de... Embora muitos "apesar de" é o que torna essa felicidade mais gostosa de curtir. Não é um sentimento ou uma percepção da ausência dos problemas, das dificuldades, do querer perto quem está longe...

Não é uma abstração com efemeridade. É antes, uma sensação de que um vento bom começa a soprar na mesma direção que anseio seguir...

E eu que já corri contra o fluxo natural, já bati de frente com a tempestade, naveguei contra os ventos e a maré alta, viajo agora ao sabor do vento bom!

E olhem que toda tempestade deixa após passar um rastro de destruição. Mesmo assim, é possível limpar a eira, ajuntar os cacos, reconstruir edifícios e remontar toda uma vida.

Sigo assim, devagar, e sempre, e sempre...

"Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei"


OZEAS CB RAMOS
www.facebook.com/rascunho1966

Nenhum comentário:

Postar um comentário


SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE.
COMENTE - DEIXE SUA CRÍTICA, ELOGIO OU SUGESTÃO.
Aproveite e veja também outras postagens desse BLOG.
Obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...