domingo, 12 de julho de 2015

PITORESCO OU INUSITADO?




Não sei se usaria PITORESCO, seguindo o bordão da atriz Maria Menezes (do Mosaico Baiano) ou INUSITADO para reproduzir uma coleção de imagens fotografadas no meu dia a dia. A verdade é que vejo muita coisa interessante e ao mesmo tempo diferente nas andanças pelas cidades de Simões Filho, Camaçari, Dias Dávila e Mata de São João e que, de tão simples, podem até passar despercebidas da maioria. Não são fotos para serem compartilhadas e não farão parte de uma exposição por serem imagens simplórias. Uma dessas imagens é de uma rosa vermelha já iniciando a sua fase final, diria terminal. Única e solitária, à frente de uma parede branca de uma casa em um condomínio.

Como estou quase sempre com o volante nas mãos, dirigindo por um roteiro que precisa ser vencido até o por do sol, e sem uma câmera adequada para esses registros, cabe a meu celular a tarefa de ser a ferramenta para esse fim. E aí a qualidade deixa a desejar...

Outro dia saindo de Dias Dávila fui surpreendido por um belo marruá, com um cupim enorme às costas, que me deu um pequeno susto. Surgiu de um córrego à margem da rodovia diante de uma pequena ponte de ferro e se pôs à frente do carro sem muita vontade nem pressa em seguir.

As muitas flores amarelas no canteiro central da BA 093, outras tantas que se destacam na mata predominante de tons verde, o sol nascendo e se exibindo pela Via Parafuso, o por do sol todo fim de tarde nas montanhas e matas de Mata de São João, as muitas nuvens que quebram a monotonia no céu azulado, a chuva que cai e cria correnteza ladeira abaixo, as sementes do açafrão, são exemplos de fotografias que ando tirando (?!).

Há ainda outras imagens registradas apenas e gravadas em minha mente. Lembranças que logo serão esquecidas como uma menina querendo atravessar uma rua e uma vaca (entre outras) com ares de não querer permitir. A menina ia e voltava com medo da vaca que não fazia cara de boa amiga! Ou ainda, um cão orelhudo, preto, ainda filhote, agoniado com a presença de uma vaca. Ele latia insistentemente e a bendita vaca deitada, voltada para o sol, ruminando sem dar a menor bola para o cachorrinho. Do alto do apartamento eu acompanhava a desventura do danado e a pabulagem despretensiosa da mimosa.

Vida simples. Imagens de um cotidiano trivial e eu inserido em todo esse cenário bucólico e imensamente belo. Que traz prazer a minha alma e reforça meu lado caipira enquanto preciso meu seguir em busca do pão de cada dia...


OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário


SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE.
COMENTE - DEIXE SUA CRÍTICA, ELOGIO OU SUGESTÃO.
Aproveite e veja também outras postagens desse BLOG.
Obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...