segunda-feira, 30 de setembro de 2013

MEMORIAS




Como sempre digo:
Não existem fotos feias.
Foto feia é foto sem história.
Quando a gente olha
e não quer lembrar...

OZEAS RAMOS


domingo, 29 de setembro de 2013

VOCÊ SEMPRE


Ozeas Ramos


VOCÊ SEMPRE

Desejo teu cheiro
Desejo teu corpo
Desejo você sempre.
Ontem
Agora
E é certo que amanhã também.


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

sábado, 28 de setembro de 2013

AGORA EU VEJO O SOL



Agora eu vejo o sol
Com um brilho luzente
Ou seriam meus olhos com um novo olhar?
Mas inquiro o que ele esconde atrás de si,
Além do horizonte?
Ainda não sei dizer ao certo.
Sei que a fé eu não tenho
Que o amor se foi
E ficou comigo esperança.
Mesmo pedindo que ela também seguisse
Insisti, mas ela preferiu ficar
É com esperança que observo o rútilo
E com ela quero permanecer até descobrir-te.
Vem, revela-te a mim!
Por que esse esplendor refulgente?
E por que olhas para mim?
Me abrace e me aqueça
Eu aceito tua luz em mim!


OZEAS CB RAMOS
BLOG RASCUNHO1966
www.rascunho1966.blogspot.com.br
www.facebook.com/rascunho1966


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

MAIS QUE O AMANHECER





Lua lua
Por que me olhas agora
Com todo esse esplendor
se somente tu conheces
os segredos de meu coração?
Desvia de mim a tua luz
E ilumina a meu amor
Pois é dos seus olhos
Que anseio ver o brilho
Mais que o amanhecer!


OZEAS CB RAMOS
BLOG RASCUNHO1966
www.rascunho1966.blogspot.com.br


SIMETRIA




Mesmo para uma mão torta
Haverá uma luva mais ou menos torta!
E ambos, mão e luva, convictos
Que foram feitos um para outro
Em simétrica sintonia!
Numa perfeição que a ambos completa
E que nós chamamos AMOR!


OZEAS CB RAMOS
BLOG RASCUNHO1966
www.rascunho1966.blogspot.com.br

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

NELTON RIOS DO BEM, DO BRASIL

Nelton Rios é cabra sem fitilho
Montador de alazão pangaré
Corre e pega cabrito e novilho
Fazendeiro de bicho-do-pé.


Tocador de berrante em papel
De gibão não sabe aboiar
Guerreiro com faca e cinzel
Boi berra, NR corre arriar.


Varzeapocense vereador boa gente
Bom amigo, militante e civil
Vitorioso rubronegro é decente
Nelton Rios do bem, do Brasil!


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

VENTO



O vento que passou por aqui me descabelou,
rodou minha saia e os pensamentos,
bagunçou as ideias arrumadinhas,
sacudiu meu querer.
Levou embora minhas perguntas,
driblou minha mania de certeza
e apagou minha sede de respostas.
Como a brisa que amansa o tempo,
beijou-me os cabelos e acolheu meus receios;
falou ao meu ouvido
e me bordou asas grandes...
velou meu sono
e me ajudou a levantar cedinho,
vento feito passarinho
mandou meu medo voar...
Varreu as dúvidas
que prendem os passos,
limpou a poeira que a ilusão deixou;
vento brando, mas certeiro,
vento sem pressa, mas revelador...
Deixou vírgulas fora do lugar
e reticências em lugar de ponto final;
fosse o vento algo papável, me daria a mão,
ajudaria a criança em mim atravessar a rua
e as fases de impasse desta vida...
Vento bom que me inspirou,
levantou a folhagem de meu quintal.
Feito manhã de outono,
sua festa sacudiu meu varal,
espalhou pelo chão as estrelas que eu pendurei,
disse que vontade nasce do peito
tem que vir do chão e criar raiz.

Obedeci ao vento, me rendi como aprendiz
Estou pendurando planos
e abraçando sonhos,
estou rasgando listas
e multiplicando vontades;
largando as bordas do que conheço,
e indo ao encontro
do que ainda não vi.
Estou deixando de temer o futuro
e botando fé naquela intuição gostosa
que diz que ele pode ser bom...
Deixo de seguir por caminhos já trilhados
e me guiar pelo que esperam de mim;
desato os nós dos desejos abafados
e curso os ditados pelo coração...
Minha bagagem está cheia
do brilho da imaginação;
cheia de uma paz conquistada
e de uma alegria ousada,
cheia de tempo pra ser inteira
e pra olhar ao meu redor...
e não abandono a razão
que existe em mim,
meus passos são conscientes,
meu jogo é pra ganhar...
visto o meu sorriso
e me desfaço de mapa,
me jogo na berlinda da vida e vou
e vôo...
O vento que passou por aqui
me ensinou a voar...
Um vento chamado "coragem"

yohana sanfer



OBS.:
A autora prefere o anonimato.

MADRUGÂNCIA



Madrugância é uma mistura de madrugada, insônia e ansiedade.
A madrugada chega, mas o sono vai embora.
A ansiedade toma conta de mim e me transporta para o futuro!
Levanto-me, faço um chá, bebo, como uma merendinha e volto a refletir...
Ah, ansiedade, quando vai esquecer-se de mim e me deixar dormir sem a companhia da insônia?
A minha inquietude me incomoda, porque não tenho paciência para esperar o tempo passar e tudo o que sonho, acontecer.
Queria que o amanhã fosse hoje, fosse agora, para eu ver o que vai acontecer.
Será que vou encontrar meu príncipe encantado?
Não sei.
Será que eu vou conseguir passar num concurso?
Talvez.
Será que eu vou conseguir realizar meu sonho mais secreto?
Espero que sim.
Escrevo para não perder o verso, não perder a rima e da poesia não esquecer.
Verso acabado.
Momento registrado e o futuro me aguarda vitoriosa!


Nane Cypriano

CANARIO


Ozeas Ramos

Sou canário
Sou terra
Nasci livre.
Sou canto
Canto forte.
Voo rápido
Sou do mato.
Quando ficarei livre
de sua anilha
em minha alma?
Preciso voar!


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

terça-feira, 24 de setembro de 2013

AGORA É PARA SEMPRE


Diante de seus olhos
O silêncio
E a quietude da alma
O tempo se fez atemporal
A razão tornou-se loucura
E a loucura beleza singular.
Você soprou em mim a infinitude!
Me encheu com sua graça
Materializou minhas esperanças
E me fez esquecer o ontem.
Tu transmutas o agora em sublime eternidade.
Fortuito meu agora vive para sempre
Agora é para sempre
Para sempre amar-te!



OZEAS RAMOS
@ozeascbr


PARA MIM



Amanheceu chovendo
Aqui
Em mim
Saudade...
Não vejo a luz
Em seus olhos
Não vejo o sol.
Anseio o brilho do dia
Em teu rosto
Em teu sorriso
Vida
Minha!
Hoje eu quero música
Alegria
Tua voz
Teu bom dia
Para mim
Você!


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

MÁRMORE PRETO




Jango tem jazigo perpétuo
Durango Kid eu não sei
Eu quero o meu ainda em vida
Sepulcro com lápide de mármore preto.
Não quero tintas nem cal
Eu não terei sepulcro caiado
A mim, basta ser o defunto
O defunto e a própria cruz.
Vindo não traga velas
Nem entoe rezas vazias
A deuses igualmente vazios.
(Vazio por vazio eu fico com o meu).
E não lamentes eu ter triste sorte.
Mas se puder traga flores
Rosas amarelas ou margaridas.
Deixe-as com o silêncio costumeiro.
Quanto ao texto da lápide
Ainda não decidi,
Mas está para ser:

Aqui jaz um imbecil estúpido
Que em vida morreu de amor!


OZEAS RAMOS

@ozeascbr





sábado, 21 de setembro de 2013

UMA BICUDA


Eu não sei passar ao largo...
Embora algumas vezes, meu desejo sincero
seja dar uma bicuda na canela...


OZEAS RAMOS

MAIS BELA

És a mais bela
Entre cem
Dentre muitas...
Aquela por quem meus olhos brilham
Mesmo quando te vejo
Apenas em meus pensamentos!


OZEAS RAMOS

ACONCHEGO

Que o amor seja sempre como uma boa rede de dormir

UM ACONCHEGO.


OZEAS RAMOS

DESEJO É COMO NUVENS


Ozeas Ramos

Mesmo no amor
Perdi quem um dia teve
Quem um dia achou.
Se você senti falta
Daquilo que não teve nem achou
Está sentindo desejo
Relaxe e liberte-se
Que logo passa
Como nuvens
É bastante um novo vento!


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

FOLHAS QUE CAEM




Meu outono jamais será inverno.

Verei apenas as folhas que caem

Levadas pelo vento...




OZEAS CB RAMOS

VELHOS CAMINHOS




É uma desgraça ter que trilhar
velhos caminhos.

Cortar os mesmos atalhos

Percorrer as mesmas vielas
Tropeçar nas mesmas pedras...
Ainda maior a desventura
Quando não se pode pisar nessas mesmas velhas pedras!
Pedras que não brilham mais.
Velhos caminhos guardam apenas velhas estórias.

Só de vez em quando
As histórias são novas!
Renovam-se!


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

VOAR É MEU DESTINO



Minha alma rebela-se
e de nada será refém
Nem da divindade egocêntrica
Tampouco de seus semideuses loucos
Livre sou
Livre permanecerei.

Nem essas quatro paredes poderão aprisionar-me
Se janelas não há, liberto-me em pensamentos.

Daqui vejo o sol
Não há escuridão ou trevas
E vou até o infinito
Aonde meus pensamentos me conduzem.
Voar é meu destino

(Até encontrar você).


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

OUTUBRO ROSA 2012


"PÉ QUE NÃO ANDA, NÃO LEVA TOPADA"




"Pé que não anda não leva topada"

Estou igualmente convencido que a FELICIDADE antes de ser um estado conquistado, um momento de "perfeição", completude/plenitude, é o exercício da própria busca *. Assim, felicidade não é ato e sim processo.

Penso que confundimos felicidade com satisfação/insatisfação. Posso estar feliz e não alcançar a satisfação, logo, insatisfeito. Feliz e satisfeito é quando busca e conquista se encontram!
A infelicidade virá por nem tentar ser feliz.

Qual a sua opinião?



* MASI, Domenico de. O Ócio Criativo. 7ª Ed. Pág. 201.

FIM




Uma.
Só.
Uma?
Umazinha!
Não.
Nunca...
Nada?
Nadica.
Neca.

Eca!



Fim.

OZEAS RAMOS
@ozeascbr

terça-feira, 17 de setembro de 2013

A NATUREZA A TEU FAVOR



Quando o sol brilhar
Será por ti
Para te aquecer
E trazer luz para teu dia.

Saindo ele, virá a lua
Para te fazer companhia
Iluminar teus caminhos
E inspirar a tua noite.


Mesmo quando nuvens escuras
Dominarem o céu
Haverá ao menos uma estrela
Olhando por ti.


A natureza vai conspirar
E será ela teu favor
Pois até o mar te conduzirá com cuidado
De volta ao continente do meu amor!



OZEAS RAMOS
@ozeascbr



PEDRA RELUZENTE



No fundo, no fundo, essa caverna
É mais fria que escura.
Você me ilumina minha pedra reluzente
Meu diamante branco lapidado.
Aqui dentro é você minha lua cheia
E é desse modo que sei que o sol, lá fora
Também brilha por mim através de você.
Sinto tua falta. Sinto muito a tua falta!
Mesmo iluminada por tua presença vivaz
Essa minha existência solitária
Tem que aceitar tais vicissitudes:
tua ausência e distância
e esse frio afligente.

Mesmo caminhando por entre salas pequenas
Por caminhos e vielas tortas
Ainda mantenho comigo esperança
A quem em segredo confidenciei
Minh'alma anseia reencontrar-te.
Desilusão?
Não. Amor desventurado.
Pois com muitíssimo amor
Amo-te todos os meus dias...
Tanto que não grito mais, nem imploro melhor sorte.
Quando gritava eu te amo!
Meus gritos ecoavam e ouvia repetidamente:
Eu te amo saudade minha!
Eles ainda se repetem...
O que quebra o silêncio nesse estranho mundo
Onde o tempo não passa.
E como a terra não engole seu fruto 

Sobrevivo a angústia desse querer infindo.


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

EU SÓ SEI DIZER

Imagem da Net



Quem nada disse
Nada tendo o que falar
Muito disse
E ainda hoje é ouvido


Aquele que quis dizer
Sem desdizer
Nada disse
Pois não encontrou ouvidos


Eu não sei dizer
O que quis dizer
Quando disse quiz


Eu só sei dizer
O que disse outro poeta:
Que eu amo você!



OZEAS CB RAMOS
BLOG RASCUNHO1966
www.rascunho1966.blogspot.com.br
www.facebook.com/rascunho1966
.
SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE.
COMENTE - DEIXE SUA CRÍTICA, ELOGIO OU SUGESTÃO.

Segundo wikipédia:
Quiz é uma forma de avaliar uma grande quantidade de pessoas com um questionário com respostas do tipo "certo ou errado" e chegar em um consenso geral.

domingo, 15 de setembro de 2013

COISAS INSUPORTÁVEIS

Imagem da Net

A insensatez¹, a estupidez² e a mediocridade³,
Quando combinadas, são insuportáveis.
Tanto quanto o mentecapto4 que delas se utiliza.


Observação:

Se você estiver em posição inferior ao referido cidadão/cidadã, resta-lhe duas opções:
1. Calar-se
2. Ordenar ao interlocutor que se digne em oferecer, para algum sujeito indeterminado, seu orifício circular corrugado.



VOCABULÁRIO:
1. Falta de inteligência, de juízo, de discernimento
2. Contrário ao bom senso e a razão
3. Ordinário, sofrível, vulgar
4. Alienado, idiota, néscio



OZEAS RAMOS
@ozeascbr

sábado, 14 de setembro de 2013

VERSO - ARIANO SUASSUNA


"Que vale a natureza sem teus olhos,
ó aquela por quem meu sangue pulsa?"

ARIANO SUASSUNA

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

NEM GAMELA NEM CABAÇO




NEM GAMELA NEM CABAÇO

Era sábado a noite
A madrugada ainda não era minha
Não havia gamela
E eu não encontrei cabaço
Esperei o dia amanhecer
Só aí entrei.
Nunca mais quis sair.


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

POR ESCOLHA


Ozeas Ramos

POR ESCOLHA

Apaixonado por teu sorriso
Quero roubá-lo para mim
Mas aí não seria mais sorriso
Seria melancolia

Desejo teu coração
Quero para ser meu
Mas aí não seria mais coração
Seria antes um marca passo

Amo muito você
Quero você para mim
Mas aí não seria mais você
Seria antes uma propriedade

De tanto que estou apaixonado
Por quanto que te quero
E pelo muito que te amo
Quero você livre
Como livre é a tua alma


E que venhas a mim por escolha
E em me escolhendo permaneças livre
Para sorrir
Para me dar seu coração
E para me amar.


OZEAS RAMOS
@ozeascbr


LEMBRANÇAS DE OUTRA NOITE SEM ENERGIA


Agosto é assim, quando o dia é de sol, dia quente, a noite será fria. E quando durante o dia chove, a noite será uma geladeira só. E assim foi nesse dia. Choveu mais cedo e a noite esfriou uma beleza.
Logo após chegar do trabalho quando me preparava para rascunhar e publicar mais algumas ideias a energia se foi. Com a "falta de luz" o jeito foi acender uma vela e sentar à porta para admirar a noite curtindo seu frio (uma pena não se usa mais candeeiro).



Duas vizinhas que estão com crias recentes gritaram pedindo vela, e como tinha algumas de sobra pude atendê-las. Seu Chico logo bradou para todos ouvirem, em tom de gozação
 - quem mandou não pagar a conta de energia?
Em seguida um silêncio dominou o ambiente. Sentado observando a vela acesa tirei algumas fotos com o celular, coisa mesmo de quem não tinha naquela hora o que fazer. Foi quando percebi o correr das nuvens no céu. Entre elas algumas estrelas teimavam em exibir seu brilho. A velha mangueira solitária e solidária balançava sua copa parecendo querer dormir. E lentamente, embora mais cedo que costumeiro, o sono foi me roubando...
Nesse instante as lembranças me ocuparam o pensamento. Lembrança da última vez que estive no céu. Onde umbú é fruto do mato que gente e bicho apreciam.


Na terra da onça taquara, onde urubu-rei cai com tiro certeiro e a coruja e a espanta-boiada debocham da boa pontaria.
Lá na pedra que brilha a noite estava amena, nem fria nem quente. A casa distava da estrada que por sinal transitam poucos carros.  Não havia energia elétrica, a iluminação vinha do velho fifó (candeeiro), as galinhas em seu poleiro, todas menos uma que já estava à mesa acompanhada de feijão verde, arroz e salada.


Passar uma noite assim não tem preço, e para as demais coisas da vida existem os sonhos!
Sabendo-se que muitas dessas nem o melhor cartão de crédito pode obter.
Enquanto a nostalgia tomava-me inteiro com lembranças distantes a energia voltou e o encanto se foi, como tudo enfim. O tempo parece ter ficado imóvel, parado...
E eu, feliz e saudoso, recolhi-me dessa labuta prosal.
Quem sabe sonharia???


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

UMA LINDA FLOR


Não sendo mais um botão
Pois com o tempo desabrochou
Agora é como a primavera
Fincou suas raízes
Abriu-se ao sol
E no amanhecer do dia
Superando intempéries, ventanias
Permitiu aquecer suas pétalas
Exalando agradável olor
Tornando-se no tempo certo
Flor adulta
Flor mulher
Uma linda flor!



OZEAS CB RAMOS


quarta-feira, 11 de setembro de 2013

COMO ESQUECER?




Como esquecer
a primeira vez que meu pau
roçou tua vulva?

Deitada, sem calcinha,
pernas entreabertas,
tua buceta molhada

E tua voz trêmula
dizendo-me: vem!

Naquele instante eu te quis
para sempre,

até amanhã...


OZEAS RAMOS
@ozeascbr

DREAMS FLY - OZEAS RAMOS




Dreams fly

Unfortunate dreams
Are born like child
Innocents and pure
But they gain soul
Create wings, become free
And fly away from us

Some dream  little
Some live to dream
In an eternal trip
In an eternal seek

So I grew up wings
And like my dreams I tried to fly
To find myself in you
And be in your eyes
Like this I lost myself
And like this I lost you!

Dreams fly
Flying is living
Living is dreaming


OZEAS CB RAMOS


* A tradutora não autorizou a divulgação de seu nome. Mesmo assim, meu agradecimento!


Leia em português: http://rascunho1966.blogspot.com.br/2013/09/sonhos-voam.html

terça-feira, 10 de setembro de 2013

SONHOS VOAM



Sonhos desgraçados
Nascem como crianças
Inocentes e puros
Mas ganham alma
Criam asas, ficam livres
E voam de nós.

Há quem sonhe pouco
Há quem viva a sonhar
Em uma eterna viagem
Em um eterno buscar

Assim eu criei asas
E como meus sonhos busquei voar
Para me encontrar em ti
E estar em teus olhos.
Foi assim que me perdi
E foi assim que te perdi!

Sonhos voam
Voar é viver
Viver é sonhar

OZEAS RAMOS
@ozeascbr



CORAÇÃO LEVIANO


O amor não é do coração
Não nasce nele
Nem nele se instala.
Dele é a paixão.
O amor acontece na alma
Que uma vez marcada,
nunca mais pertencerá a outrem.
O coração não
É leviano e espaçoso

O amor não é do coração
Não nasce nele
Nem nele se instala.
Dele é a paixão.
O amor acontece na alma
Que uma vez marcada,
nunca mais pertencerá a outrem.
O coração não
É leviano e espaçoso.

OZEAS RAMOS
@ozeascbr


domingo, 8 de setembro de 2013

VOCÊ DISTANTE


Você distante é tradução
Da solidão presente
É amanhecer que não chega
Entardecer que perdura
Anoitecer que sufoca
É um sem fim...

OZEAS RAMOS

RAIO X

 


RAIO X

Nem poeta, nem louco
De tudo um pouco
Normal, animal, mortal
Impaciente,
Inconsequente,
Intransigente.
Gente
Fdp
Feio
Pobre
Nada
Nobre
Eu assim sou!
E quando quero mudar
Sou igual!

OZEAS RAMOS
Comente - Compartilhe
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...